Arquivo da tag: Campo Científico

Especificidades e autonomia na ética em pesquisa: entrevista com Luiz Fernando Dias Duarte

Por Edmar M. Braga Filho e Leonel Salgueiro

O tema da ética em pesquisa nas ciências humanas e sociais já foi abordado diversas vezes pelo C/A. De fato, nos últimos meses o debate em torno da criação de um conselho específico para essas áreas ganhou mais atenção, mobilizando grande parte da comunidade acadêmica. Após anos de trabalho e negociação, foi aprovada a resolução que regula a pesquisa em ciências e sociais, em abril deste ano. Contudo, ainda há alguns aspectos pendentes para a sua implantação, conforme podemos verificar na página do Comitê de Ética em Pesquisa nas Ciências Humanas, que acompanha o processo. Além disso algumas modificações foram feitas pelo Conselho Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). O antropólogo Luiz Fernando Dias Duarte esclareceu alguns pontos acerca do texto aprovado pelo Conselho, como pode ser visto aqui, e refletiu sobre novas vias de atuação.

Em entrevista ao Circuito, Dias Duarte esclareceu alguns pontos sobre o debate, ainda pertinente. A questão da ética em pesquisa pode ser vista como permeada por dois eixos: a especificidade das ciências humanas e sociais em relação às ciências biológicas, e a sua autonomia institucional. Esses dois pontos foram levantados em nossa conversa. Confira! Continuar lendo Especificidades e autonomia na ética em pesquisa: entrevista com Luiz Fernando Dias Duarte

Anúncios

Morfologias da sociologia brasileira

Por Edmar M. Braga Filho

Uma das vantagens da sociologia é a sua capacidade de aplicar os seus princípios a si mesma, numa espécie de autorreflexão cognitiva. Atentos às configurações que constituem a vida em sociedade, os sociólogos frequentemente refletem sobre o estado da disciplina. Partindo de um ponto de vista privilegiado, a perspectiva sociológica pode apontar mais perguntas do que respostas, como tentarei mostrar neste texto ou, seguindo Dwyer, Barbosa e Braga (2013), neste “esboço de uma morfologia da sociologia brasileira”. Continuar lendo Morfologias da sociologia brasileira

O grande ritual das ciências sociais

Por Edmar M. Braga Filho

Vivemos tempos muito preocupantes, mas também muito interessantes. Como estudantes e profissionais de ciências sociais, estamos acostumados a momentos de crise, seja no interior das disciplinas ou na relação delas com a sociedade. Com isso em mente, embora passemos por uma crise política e econômica atualmente, é importante aproveitar esse momento para refletir não apenas sobre os problemas pelos quais passa o Brasil, mas também sobre o nosso papel diante deles. Assim, nada mais representativo dessa tempestade que a realidade nos impõe do que a imagem do 39º Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (Anpocs), realizado em Caxambu, MG.

Cartaz_ANPOCS_2015

Continuar lendo O grande ritual das ciências sociais

Onde trabalha um sociólogo?

Por Leonel Salgueiro,

Estaria a sociologia apenas vinculada à academia? Afinal, existe “vida” além da “torre de marfim”? Em seu artigo A sociologia quando ‘sai’ da universidade: ilustrações para um debate, a socióloga Adelia Miglievich analisa a experiência de 21 sociólogos brasileiros que exercem funções não vinculadas às universidades. A autora discute a importância e os desafios que se impõe a profissão sociológica “não acadêmica” e seu papel crítico para pensarmos o desenvolvimento da sociologia na atualidade.

Continuar lendo Onde trabalha um sociólogo?

Onde se situa o tatame das ciências sociais?

Por Raphael Lebigre

Como funciona o campo das ciências sociais? O que os cientistas sociais mobilizam para disputar a hegemonia do que produzem? Até que ponto eles são autônomos diante das relações sociais em que se inserem?

No livro “Homo Academicus”, segundo Pierre Bourdieu (1984,p.106), faixa preta no combate sociológico, o campo das ciências humanas funciona pela concorrência entre os agentes do capital acadêmico (filiação institucional); e do científico, composto pelo capital do prestígio científico (pertencimento, por exemplo, ao comitê de redação de alguma revista) e pelo capital do poder político e econômico. 

Continuar lendo Onde se situa o tatame das ciências sociais?

Ciências, no plural

Por Edmar M. Braga Filho

A ciência, enquanto atividade social, deve ser vista de forma singular ou plural? Será ela homogênea em sua produção, circulação, consumo e finalidade? Para Terry Shinn, pesquisador da Maison des Sciences de l’Homme, Paris, a ciência é uma atividade plural, que comporta modos de produção e difusão heterogêneos, os quais o autor denomina regimes de produção e difusão de ciência. Continuar lendo Ciências, no plural

Sobre a desigualdade global na produção e circulação do conhecimento

Por Edmar M. Braga Filho

Um centro pode ser definido como um lugar de onde se irradia influência, e em torno do qual gravitam outros lugares dele dependentes. Esta relação demonstra a sujeição dos últimos pelo primeiro. Manifestando-se de várias formas, este continuum centro-periferia estrutura também o mundo da ciência. É o que nos mostra o sociólogo malaio Syed F. Alatas, em seu prestigioso artigo Dependência Acadêmica e a Divisão Global do Trabalho nas Ciências Sociais*. Continuar lendo Sobre a desigualdade global na produção e circulação do conhecimento