O peso do passaporte: a entrega das bolsas de mobilidade internacional Fórmula Santander 2014.

Por: Joanna Cassiano

 “Em um mundo globalizado como esse que construímos, um bom currículo deve ser acompanhado de um passaporte”. Essas foram as palavras de Jesús Zabalza, presidente do Santander Brasil, no evento que premiou os 100 estudantes brasileiros contemplados pelas bolsas de mobilidade internacional do programa Fórmula Santander 2014.

O evento realizado na última sexta-feira no autódromo de Interlagos, em São Paulo, marcou a quinta edição do programa e, segundo Zabalza, a mais concorrida da história, contando com mais de 17 mil inscrições. O executivo afirmou que “escolhemos realizar a premiação nesse local, pois acreditamos que e exclusividade do autódromo de Interlagos reflete o peso que essa experiência terá na história de vida de cada um dos estudantes selecionados”. Segundo ele, “um intercâmbio universitário é um marco no ciclo de aprendizado, de crescimento pessoal e acadêmico. Além de uma vivência intensa, a experiência proporciona a riqueza da troca cultural entre as nações”.

O programa é financiado pelo Santander Universidades, que tem como principal linha de atuação o apoio às ações voltadas para a educação superior.  Com a edição de 2014, a iniciativa atinge o marco de 500 bolsas de estudos concedidas a estudantes brasileiros. Além do Fórmula Santander, o Santander Universidades também possui os programas de mobilidade internacional TOP China, TOP UK, TOP España, TOP USA, Luso-Brasileiro e Ibero-Americanas.

Leandro Franco, aluno de Direito da Universidade de Brasília e um dos estudantes contemplados afirma: “Pretendo ir para Inglaterra, Escócia ou Espanha. Almejo voltar para o Brasil com o um idioma estrangeiro sólido e com uma visão comparativa sobre alguns setores presentes no campo jurídico estrangeiro e no brasileiro. O que pretendo trazer de novo para a minha faculdade é o modo de ensinar utilizado em universidades de vanguarda. Trarei novos pontos de vista sobre questões já analisadas por nós e sobre questões ainda não imaginadas aqui”.

José Carlos Pina, mestrando do programa Sociedade, Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Anhanguera-Uniderp, no Mato Grosso do Sul, pretende embarcar para a Universidade de Salamanca, na Espanha, e afirma que: “Esse é o momento para fazer contatos importantes que possam nos  proporcionar ótimas oportunidades. Por isso é importante escolher o lugar para onde ir, não apenas por ir para o exterior, mas almejando algo maior. Essa bolsa é a ponte para muitos frutos que poderemos colher”.

Já Kalianne Lima, aluna de Relações Internacionais da Laureate, no Rio Grande do Norte, embarcará para o México e ressalta: “Acredito que o intercâmbio proporciona a aproximação entre os povos, além da ampliação nos campos de pesquisa, devido às trocas de experiências e da prática dos debates entre as diferentes culturas envolvidas no processo”.

A graduanda em Ciências Sociais da Universidade Federal de Alagoas, Roberta de Carvalho, passará um semestre letivo na Universidade Nacional da Plata, na Argentina, e complementa: “Acredito que a internacionalização na graduação acompanha o movimento de profissionalização, pois ao mesmo tempo em que se caracteriza por uma especialização, proporciona também uma variedade de vivências”.

Anúncios

O que você tem a dizer sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s