Unidos pelo conhecimento: a Universidade Federal da Integração Latino-Americana.

Por: Joanna Cassiano

Criada em 2010 e localizada na cidade de Foz do Iguaçu, fronteira entre Brasil, Paraguai e Uruguai, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana forma a sua primeira turma. Com alunos latino-americanos de mais de onze nacionalidades, a primeira universidade bilíngue do país se encontra no cerne da discussão sobre os desafios de integração da América Latina.

A instituição  conta hoje com 16 cursos de graduação, dois mestrados e se prepara para a abertura de 24 novas graduações até 2015. Seu objetivo é  formar recursos humanos aptos a contribuir com a integração latino-americana, com o desenvolvimento regional e com o intercâmbio cultural, científico e educacional da região. Essa integração se dá, por exemplo, a partir de intercâmbios acadêmicos e de cooperação solidária entre os países.

Vinculada ao Ministério da Educação Brasileiro, a universidade conta com 57% de estrangeiros entre os seus 1.200 alunos. De acordo com o último levantamento feito pela Pró-Reitoria de Graduação, a UNILA conta hoje com alunos brasileiros, paraguaios, argentinos, uruguaios, peruanos, chilenos, bolivianos, colombianos, equatorianos, venezuelanos e salvadorenhos. O desejo da instituição é que essa representatividade seja ainda mais diversificada. A própria lei de criação da universidade determina que 50% de seus alunos e professores sejam brasileiros, e a outra metade, oriundos dos demais países latino-americanos.

Entre os cursos de graduação mais procurados, estão os de Geografia com ênfase em Território e Sociedade na América Latina; Ciência Política e Sociologia com ênfase em Sociedade, Estado e Política na América Latina; Antropologia com ênfase em Diversidade Cultural Latino-Americana e Relações Internacionais com ênfase em Integração. Na pós-graduação, são oferecidos os cursos de mestrado Interdisciplinar em Estudos Latino-Americanos e Integração Contemporânea da América Latina.

No fim do último mês, no colóquio intitulado “Democracia, integração regional e desenvolvimento inclusivo”, realizado na cidade de São Paulo, Marco Aurélio Garcia, chefe da assessoria especial da Presidência da República mostrou preocupação com o intercâmbio acadêmico com países do Norte, ressaltando a importância de políticas de incentivo à integração regional. Garcia questionou: “Quem vai fazer a cabeça dos nossos jovens, nós mesmos, ou vamos enviá-los para os economistas de Chicago?”

Página da UNILA: http://www.unila.edu.br/

Anúncios

O que você tem a dizer sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s