O Sistema de Avaliação da pós-graduação Brasileira e seus impactos nos processos de trabalho dos professores-pesquisadores

Por Joanna Cassiano

Em sua tese de doutorado defendida no ano passado, Marina de Carvalho Cordeiro, doutora em Sociologia pelo PPGSA – UFRJ e atualmente pós-doutoranda na mesma instituição, discute as práticas profissionais dos cientistas sociais na sociedade contemporânea. Para isso, a autora analisa a vivência de professores-pesquisadores membros de diferentes programas de pós-graduação pelo país.

Entre suas considerações, Marina ressalta as transformações profissionais consequentes dos atuais sistemas de avaliação da pós-graduação. Para pertencer e permanecer nas instituições consideradas de “excelência”, alunos e professores sofrem intensas pressões por publicações constantes. Com essa corrida pela quantidade, a qualidade dessas publicações tende a ser insuficiente dentro de um processo sólido de construção do conhecimento.

Em sua pesquisa, a socióloga entrevistou cerca de 30 professores membros de 7 diferentes programas de pós-graduação. Entre eles, uma das tensões mais evidentes é essa constante pressão por publicações, quantificadas a cada três anos. A forma como é medida a produtividade é um problema central na vivência contemporânea dos cientistas sociais.

A produção intelectual é reduzida índices numéricos e encaixada dentro de metas que determinam a nota e o “nível de eficiência” dos professores, dos programas e das universidades. Para a autora, diferente do que supõem as agências de fomento, a temporalidade da produção científica nas ciências sociais não se dá dentro de parâmetros mecanicamente controlados e nem dentro de padrões importados das ciências exatas e naturais. Os atuais quesitos da avaliação acadêmica não são próprios e não respeitam a essência e o funcionamento do fazer sociológico.

Em sua atual configuração, o sistema de avaliação tem sido para muitos uma preocupação maior do que a própria construção do conhecimento em si, já que ela fomenta uma verdadeira batalha em busca de prestígio e status.

CORDEIRO, Marina de Carvalho. Você tem tempo? Uma análise sobre as vivências temporais dos acadêmicos em ciências sociais na sociedade contemporânea. 2013. Tese Doutorado em Sociologia. Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, junho/2013.

http://www.ppgsa.ifcs.ufrj.br/evento/defesa-de-tese-de-doutorado-de-marina-cordeiro/

Disponível em:
Você tem tempo? por Marina de Carvalho Cordeiro (Tese)

Anúncios

O que você tem a dizer sobre isso?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s